Eles a adotaram pensando que era uma menina, mas descobriram que era uma psicopata de 22 anos que queria matá-los

mipaula007 21/08/2020 Relatar Quero comentar


Uma mãe e um pai de três filhos foram processados por negligenciar a filha adotiva, que na verdade era um sociopata de 22 anos  que fingia ter 9.

Kristine Barnett, de 45, e seu ex-marido Michael Barnett, de 43, supostamente abandonaram a ucraniana Natalia Grace em um apartamento em Lafayette, Indiana em 2013, antes de se mudar para o Canadá, segundo uma reportagem recente do Daily Mail .

A certidão de nascimento de Natalia Grace era 4 de setembro de 2003, mas o Tribunal Superior do Condado de Marion, em Indianápolis, determinou em 2012 que Natalia Grace nasceu de fato em 1989, tendo 22 anos na época.
Apesar dessas descobertas, o Departamento do Xerife do Condado de Tippecanoe apresenta uma versão muito diferente dos eventos para a história de Kristina Barnett.
Uma especialista do Hospital Infantil de Peyton Manning realizou testes de densidade óssea em Natalia Grace em junho de 2010, concluindo que ela tinha aproximadamente 8 anos.

A menina, que tem uma forma rara de nanismo e apenas 91 cm de altura, ficou sozinha por três anos, disseram a polícia. Seu distúrbio de crescimento ósseo causa baixa estatura, anormalidades esqueléticas e problemas de visão.

Na entrevista ao DailyMail, Kristine Barnett revelou um grande erro no caso deles.
Barnett afirma que por anos sua família foi aterrorizada por Natalia Grace, que “ameaçou esfaqueá-los durante o sono, empurrou-a para uma cerca elétrica e derramou alvejante em seu café”.
“Ela fazia declarações e desenhos dizendo que queria matar membros da família, enrolá-los em um cobertor e colocá-los no quintal”, disse Barnett ao DailyMailTV.

“Ela ficava de pé sobre as pessoas no meio da noite. Você não conseguia dormir. Tivemos que esconder todos os objetos afiados. Eu a vi colocando produtos químicos, água sanitária, Windex algo assim, no meu café e perguntei a ela, o que você está fazendo? Ela disse: ‘Estou tentando envenenar você’.”

“A mídia está me acusando de abandonar uma criança, mas não há criança aqui”, disse a mãe de três filhos.
“Natalia era uma mulher. Ela tinha menstruação. Tinha dentes adultos. Ela nunca crescia um centímetro sequer, o que aconteceria mesmo com uma criança com nanismo. Todos os médicos confirmaram que ela sofria de uma doença psicológica grave, diagnosticada apenas em adultos. Ela pulava de carros em movimento. Manchando espelhos de sangue. E estava fazendo coisas que você nunca poderia imaginar uma criança fazendo.”

Clique na segunda página para continuar navegando
Comentário do usuário