COVID-19 tem impactos negativos no sono; entenda

Pareja-Artigo e vídeo. 21/08/2020 09:11 Relatar

Dificuldade de adormecer e permanecer dormindo aumentou entre pacientes nos consultórios, com e sem histórico anterior de insônia, por uma variedade de razões

pandemia da  COVID-19 provocou impactos devastadores sobre a saúde e a economia, mas também afetou adversamente os aspectos mais básicos da vida, incluindo o sono.

Nos últimos dois meses, observamos tendências preocupantes na saúde do  sono de nossos pacientes e suspeitamos que essas tendências sejam universais.

Fatores de  estresse significativos, incluindo fechamento de escolas, insegurança econômica, medo da morte e os efeitos psicológicos e físicos do distanciamento social têm implicações importantes, incluindo distúrbios do sono.

A dificuldade de adormecer e permanecer dormindo aumentou entre nossos pacientes com e sem histórico anterior de  insônia por uma variedade de razões, incluindo aumento dos níveis de ansiedade, uso de cafeína, consumo de álcool e excessiva exposição à luz azul secundária ao aumento do tempo de uso de computadores e celulares.
 

Além da insônia, a permanência em casa parece ter resultado em alterações no  padrão circadiano do sono, predominantemente com atrasos na fase do sono. Muitas pessoas têm atrasado o sono das 22h para a meia-noite e o horário de acordar das 6–7 para 8–9 horas da manhã, um distúrbio denominado síndrome da fase do sono atrasado. Além disso, a frequência de cochilos diurnos aumentou. As consequências esperadas incluem dificuldade em adormecer, aumento da fadiga e sonolência diurna excessiva.

O consumo de álcool aumentou consideravelmente com base em relatórios de pacientes e picos nas vendas de álcool, principalmente online. Muitos restaurantes também estão oferecendo venda de álcool com comida para levar pela primeira vez, e bares estão oferecendo happy hours virtuais. O álcool inibe a resposta imunológica e tem um efeito pró-inflamatório que pode aumentar a suscetibilidade à infecção por COVID-19 e a gravidade da doença. Além disso, o álcool piora a apneia obstrutiva do sono ao relaxar a musculatura das vias aéreas superiores, causa insônia de manutenção do sono durante a última metade da noite e reduz o sono de movimentos oculares rápidos (sono REM) com consequências deletérias.

O uso de opióides e overdoses aumentaram durante a quarentena. Em algumas cidades as mortes por overdose de opioides, que vinham diminuindo, estão em seu nível mais alto desde março de 2019 e a apneia do sono induzida por opioides pode ser um fator contribuinte. Além disso, o uso relatado pelos pacientes e a demanda por maconha também aumentaram e, de acordo com o Instituto Nacional de Abuso de Drogas (National Institute of Drug Abuse), o uso de maconha e opioides pode aumentar a vulnerabilidade com a infecção por COVID-19, especialmente se inalada.

Portanto, recomendamos que nossos pacientes tentem manter seus padrões habituais pré pandemia de sono / vigília, de acordo com seus horários normais de trabalho, minimizem o uso de substâncias, incluindo álcool, e mantenham a atividade física e a exposição à luz natural. Para pacientes com apneia obstrutiva do sono que utilizam aparelhos de CPAP talvez seja necessário algum ajuste no modo de fornecimento da pressão de tratamento. Além disso, dado o potencial de aerossolizar COVID-19 através da válvula de expiração do aparelho, recomendamos que os pacientes com apneia obstrutiva do sono leve e não complicada que vivem com outras pessoas evitem o uso, e aqueles com doença moderada ou grave durmam em um quarto separado dos parceiros de cama durante o uso de pressão positiva contínua nas vias aéreas.

Parte do conteúdo do artigo é proveniente da Internet. Se seus direitos de privacidade forem violados, o site será processado o mais rápido possível. Relatar
Artigos recomendados

©2020 yeereader.com. All Rights Reserved. Sobre nós Política e segurança Termos Privacidade Direitos autorais

Isenção de responsabilidade:Este site opera enviando artigos em tempo real e não assume nenhuma responsabilidade legal pela autenticidade, integridade e posição de todos os artigos. O conteúdo de todos os artigos representa apenas as opiniões pessoais do autor e não é a posição deste Site. Os usuários devem julgar a autenticidade do conteúdo. O autor possui os direitos autorais do artigo publicado neste site. Como este site é restrito pelo modo de operação "publicação em tempo real", não podemos monitorar completamente todos os artigos. Se os leitores encontrarem problemas, entre em contato conosco. Este site tem o direito de excluir qualquer conteúdo e recusar qualquer pessoa a publicar artigos neste site e também o direito de não excluir o artigo.Não escreva palavrões, calúnia, violência pornográfica ou ataques pessoais, seja disciplinado. Este site reserva todos os direitos legais.
TOP
X
Relatar
Use um endereço de e-mail real. Se não pudermos entrar em contato com você, não poderemos processar seu relatório.